GISELLE NASSER – ENTREVISTA

Formada em Moda pela Faculdade Santa Marcelina, Giselle ficou conhecida nacionalmente muito cedo, quando foi convidada a participar do que é hoje a Casa de Criadores; e logo em seguida levou a assinatura recém-lançada ao Amni Hot Spot. Em 2005, com peças distribuídas por cerca de 30 pontos de venda pelo Brasil e já com loja própria em uma bucólica vila na rua Oscar Freire, passou a integrar o line up do São Paulo Fashion Week, onde desfilou até janeiro de 2009. A trajetória é motivo de orgulho para a avó Edith, modista de primeira, com quem aprendeu o preciosismo da modelagem e da costura ainda menina, no interior do Paraná. Depois de atuar por três anos na direção criativa da Cori, Giselle Nasser traz para a Nouveau a vontade de retomar sua essência como estilista. Busca o novo, sim, mas sem nunca deixar de lado o gosto pelo romântico, pelos vestidos, pelo feminino. A Nouveau é uma casa centenária, uma marca, um ateliê. Mais que isso, é um espaço repleto de significado, criado com o objetivo de celebrar. Celebrar o ritual de fazer o vestido de noiva. O ritual de casar. O ritual de amar. O ponto de partida é o vestido, feito sob medida, com todo carinho e sentido. Um “vestido-patuá”, que além de ressaltar o lado mais belo da noiva possa levar com ele a emoção de uma história a dois. A proposta é oferecer uma experiência completa, pensando no look total da noiva. Sapatos, acessórios de cabeça, lingeries para o dia, vestidos de daminhas, e um estudio de beleza com uma maquiadora especializada em noivas para arrematar os detalhes de make e cabelo. Peças artesanais de decor e enxoval estão espalhadas pela casa toda. Nessa entrevista, Giselle nos fala um pouco sobre moda e seus segredinhos de beleza:

 

-Você trabalha há anos com moda, em sua visão, as marcas hoje tem mais “identidade”, são mais criativas?

Acho que sim, por um lado, mas por outro, a facilidade do acesso às informações fez com que desenvolvêssemos ainda mais o talento de fazer “releituras”. Acredito mais que temos uma criatividade customizada do que uma criatividade genuinamente brasileira.

-Qual tipo de roupa você gosta mais de criar, qual lhe realiza mais?

Vestidos, sem duvida, sempre foi. Por isso, a escolha pelo universo de noivas foi tão natural pra mim, além de me identificar muito com o universo feminino e romantico.

-Das marcas de moda, quais você se identifica e consome?

Sou bem pouco consumista, faço muitas roupas. Mas gosto muito de Stella Mcartney e Isabel Marrant. Dos brasileiros estou gostando muito de duas novas estilistas, Millene Marge e Valerie Ciriades.

-Qual mensagem você deixaria para os estudantes de moda do País que estão entrando agora nesse universo?

Eu diria a eles “há muito mais coisas entre o céu e a terra do que somente o posto de estilista”… ou seja, o mercado hoje precisa muito mais de outros profissionais como por exemplo, estilistas, profissionais de branding, de planejamento, diretores de arte,compradores, tudo isso dentro do mercado de moda, com o mesmo estatus e com salarios muitas vezes muito melhores do que os de estilistas. Olhem em volta.

-Depois de trabalhar em inumeras marcas importantes e de ter sua própria marca, você está lançando um projeto novo, fale um pouco sobre ele.

Ao sair da Cori, uma marca de alfaiataria, senti muita vontade de retomar minha essencia, que são a feminilidade e o romantismo. Porém estava muito inconformada com o processo do mercado de moda, onde a cada seis meses você tem que reinventar a roda, para 3 meses depois liquidar tudo. Isso perdeu completamente o sentido pra mim, queria uma maior valorizaçao do meu trabalho e maior respeito pelo produto e até pelo meio ambiente. Juntando todos os pontos o caminho natural foi o do universo das noivas. O segundo passo foi encontrar uma parceira disposta a cuidar da parte que nao tenho talento para cuidar, o administrativo. Eu e Kiki Rivellino fundamos então a Nouveau, um atelier-casa, com uma proposta de atendimento personalizado, feito à moda antiga, porem absolutamente acessivel para todas. Na Nouveau a noiva resolve todos os itens relacionados ao seu look no dia, mas recebe o carinho e aconchego necessários para este momento tao especial. Todas as peças são feitas sob medida.

-Fashion ou classic?

um mix dos dois, nunca uma coisa só.

-O que vc acha do fast fashion?

O fast fashion tem seu papel importante, que é o de democratizar o acesso às tendencias. Todo mundo consome fast fashion, em maior ou menor escala. E esse upgrade no status do fast fashion faz muitas marcas sofrerem, pois o consumidor nao quer mais pagar caro apenas por uma etiqueta; usar Zara não faz vergonha à ninguem hoje em dia. Isso acabou obrigando as marcas a se diferenciarem pelo estilo,e pela qualidade. Não há como lutar contra isso, apenas ressaltar cada vez mais as diferenças e com isso, esperar que o consumidor entenda o valor percebido do seu produto, sabendo que ele fará um mix em seu guarda roupa, com a sua marca e o fast fashion; e está tudo certo em ser assim.

 

-Quais seu segredos de beleza? você consegue, dentro de sua rotina, conciliar trabalho, marido, casa e ainda cuidar de si, fazer esporte,etc?

Eu tento ter uma rotina de horários definidos com cuidados de beleza e esportes, caso contrário sempre haverá algo mais importante a se fazer. Faço personal trainer as 8h duas vezes na semana, e pela manha e a noite, faço o ritual de cuidar da pele- limpar, hidratar, filtro solar. Tenho meu dia fixo de ir ao salão fazer as unhas e faço mascaras de hidratação no cabelo pelo menos uma vez por semana, pois meu cabelo é muito seco e rebelde.

Tento organizar a casa da mesma maneira, tendo rotina.Dia tal é de faxina, o outro é quando levo as roupas para lavanderia. Gosto de comprar o que vou jantar todos os dias, dessa forma aprendi a evitar desperdício, então ao sair do trabalho eu ou meu marido sempre passamos no supermercado. Mas cuidar da casa para mim é um prazer, é onde eu me encontro, exercito meu carinho pelo meu marido, por mim mesma, por nosso dia a dia.

KIKI RIVELLINO E GISELLE NASSER
KIKI RIVELLINO E GISELLE NASSER
VESTIDO DE GISELLE NASSER
VESTIDO DE GISELLE NASSER
Marcia Paron
Marcia Paron
Marcia Paron é estilista e Fashion Buyer, trabalhou para importantes marcas internacionais como Miss Sixty e Zara e hoje é gerente de negócios da cadeia Espanhola de lojas El Corte Inglés. Apaixonada por estética, arte e moda desde sempre, decidiu colocar em prática a paixão por escrever e orientar pessoas sobre tendências de moda, estilo pessoal, consumo consciente e autoestima, através do blog Buyer & Brand, um espaço aberto à informação sem afetação, com foco em moda acessível, feita para mulheres reais.
http://buyerandbrand.com.br

2 thoughts on “GISELLE NASSER – ENTREVISTA

  1. Nossa Márcia,

    me atentei bastante na questão do mercado da moda ser tão rápido mesmo, mas acho que o que faz diferença é usarmos a moda ao nosso favor, nos apropriar do que nos agrada e favorece, e correr do que não nos diz respeito, é claro, que cometemos erros e acerto. Mas para mim, como tudo na vida, algumas coisas chegam para ficar, enquanto outras serão (felizmente eu diria), passageiras.
    Eu acho que a nossa personalidade influencia, e talvez a melhor forma seja encontrar o que nos agrada e saber que podemos manter nossas peças antiguinhas preferidas, que conviverão pacificamente com o que houver de novo, até mesmo porque também existem as tendencias que vão e voltam.

    Acho que isso também influencia na moda noiva, algumas preferem vestidos mais românticos, outras já são mais ousadas, mas de qualquer maneira, nada foge muito desse lado romântico num é? Afinal o dia do casamento é um dia apaixonado.

    1. Oi Bruninha, você está certa.. antes de sermos vítimas da moda, precisamos ter personalidade de moda, e consumir não só aquilo que nos cai bem, como também peças que poderão ser usadas em próximas coleções.. Mas para nós que trabalhamos com a Industria da moda é uma grande loucura esse ritmo cada vez mais frenético e curto para se concretizar uma coleção, produzi-la e vende-la.. às vezes, uma peça que vc demorou meses para transforma-la em um produto bacana, em poucos dias é colocada em liquidação como se já não tivesse nenhum valor.. é sobre isso o comentário da Giselle.. bjo gde

Deixe uma resposta