O MITO DA DIETA DETOX – Por Daniela Tarasoutchi

O que é a dieta detox? Normalmente é bem restritiva com baixos valores calóricos, ingestão mínima de alimentos industrializados e, em alguns casos, até restringem açúcar refinado, glúten, lactose e proteína de origem animal, e que pretende, a curto prazo, eliminar as toxinas (excessos na alimentação, álcool, agrotóxicos) acumuladas no organismo.

foto:dpilbrasil
foto:dpilbrasil

 

Será que nosso corpo precisa de desintoxicação?  O nosso organismo por si só é capaz de eliminar o que não é bom para nós por meio dos sistemas circulatório, urinário e digestivo. Ainda por cima, não há comprovação científica de que as dietas detox são realmente capazes de contribuir com essa “desintoxicação” de maneira tão significativa. Uma pesquisa dividiu voluntários em dois diferentes grupos, um que consumiram  a dieta detox e o outro grupo que continuou comendo normalmente. Não foi observado nenhum benefício da dieta detox, nem mesmo acelerou o processo de “desintoxicação” do organismo.

A dieta DETOX é muito difícil de seguir, monótona, não tem a ingestão de fibras, o que prejudica o funcionamento intestinal e, mesmo sendo por um curto prazo, não promove a reeducação alimentar, podendo ocorrer justamente o contrário, pois ao final da dieta temos a necessidade descontrolada por comida.

Mitos e verdades da dieta detox:

– Sucos verdes: é possível preparar infinitas combinações de sabores com frutas, folhas, legumes, brotos, sementes, etc.  Normalmente são opções pouco calóricas e muito nutritivas, o que é ideal lanches da manhã e da tarde. Mas …. estes sucos prometem eliminar toxinas ou até mesmo acelerar o metabolismo. Não existem soluções magicas!!! As pesquisas até o momento não conseguiram provar que estes sucos são capazes de limpar o organismo ou aumentar a taxa metabólica. De qualquer forma, eles são ótimas opções para aumentar a ingestão de líquidos, vitaminas e minerais em sua alimentação.

– Colocar couve no suco pode aumentar a oferta de nutrientes e tem alto poder antioxidante.

– Retirada do glúten. Não há necessidade. A não ser em caso de pessoas alérgicas ao glúten.

– O leite e substitutos também só devem ser cortados em caso de intolerantes à lactose. Alimento com proteínas e pouca gordura quando desnatado, além de ser fonte mais fácil de consumo de cálcio e vitaminas – ou seja, se cortado da alimentação, pode aumentar o risco da pessoa ter problemas como a osteopenia e osteoporose. No caso dos intolerantes, é importante ainda repor o cálcio de outras maneiras, ingerindo, por exemplo, vegetais verde-escuros, feijões, quinua, amêndoas, algas e tofu.

– Excluir proteína animal. Em longo prazo, pode ser prejudicial à sua saúde. Caso você decida parar de comer carne e alimentos de origem animal por uma questão de filosofia de vida, deve ser acompanhada de um profissional de saúde que te ajudará a evitar que alguns nutrientes, como vitamina B e ferro, fiquem deficientes em seu organismo.

– Desincha o corpo. Isso acontece porque, nos primeiros dias de uma dieta, há uma perda natural de líquido, mas o que faz realmente o organismo desinchar é o equilíbrio entre o sódio e o potássio – por isso, é bom evitar alimentos industrializados com muito sal, que podem reter líquido.

– Inclusão do chá na dieta: como o chá tem substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias que estimulam a diurese, eles também ajudam o corpo a funcionar melhor. Os melhores são aqueles feitos direto com a erva.

– A redução de alimentos industrializados e açúcar refinado. Evitar o excesso destes alimentos pode contribuir para um menor consumo de gorduras, sódio e açúcares em geral. De maneira equilibrada, os alimentos industrializados podem fazer parte da alimentação, sim! Existem opções saudáveis e nutritivas dentre estes, só precisamos aprender a fazer boas escolhas! E é para isso que nós nutricionistas estamos aqui!

Para finalizar, na semana passada o professor Lancha Jr, super renomado na área de nutrição esportiva publicou nas suas redes sociais o seguinte texto:

“Estudo publicado no British Medical Bulletin em 2012 enfatiza falta de base cientifica nas dietas e produtos denominados DETOX. Desintoxicação é um termo empregado em clinicas de dependentes químicos, quando em seu estagio inicial, os pacientes são submetidos a procedimento de retirada do convívio com as substancias que o levaram a internação. Quando falamos de dietas DETOX ou suplementos nutricionais DETOX isso ganha outro contorno. Intoxicação alimentar é um estado grave que merece atenção medica e pode at é resultar em morte. Já as dietas ou produtos DETOX prestam um desserviço à sociedade. Exploram o sentimento de culpa pela ingestão de alimentos mais calóricos. Com isso, propõe a ingestão de sucos, alimentos líquidos, etc, ao invés de educar as pessoas para uma alimentação responsável e equilibrada. Com isso criam o ciclo culpa, punição e comprometem o relacionamento harmonioso com a comida. Alimento é muito mais do que o conjunto de nutrientes é prazer, é convívio social, é cultura. Assim não se engane e não se deixe enganar, dieta ou produtos DETOX não existem!”

E então, concordam? Eu concordo!

Bjs, Dani

nosso_time3

Daniela Tarasoutchi é proprietária do blog INFORMA.

CRM 24079 / Doutoranda em Cardiologia / Tel. 11 2151 3011

 

 

Marcia Paron
Marcia Paron
Marcia Paron é estilista e Fashion Buyer, trabalhou para importantes marcas internacionais como Miss Sixty e Zara e hoje é gerente de negócios da cadeia Espanhola de lojas El Corte Inglés. Apaixonada por estética, arte e moda desde sempre, decidiu colocar em prática a paixão por escrever e orientar pessoas sobre tendências de moda, estilo pessoal, consumo consciente e autoestima, através do blog Buyer & Brand, um espaço aberto à informação sem afetação, com foco em moda acessível, feita para mulheres reais.
http://buyerandbrand.com.br

Deixe uma resposta