CREME ANTI-IDADE – O QUE É E COMO USAR

imagem:reprodução
imagem:reprodução

 

Uma coisa é certa, a idade chega para todos… Ainda não inventaram uma cápsula que seja capaz de frear os efeitos do envelhecimento na pele (A-D-O-R-A-R-I-A!!). Enquanto a medicina avança, resta a nós, meros mortais, cuidar da prevenção. Sou uma grande defensora de que prevenir é mesmo o melhor remédio, neste caso eu diria que é melhor prevenir do que corrigir. Neste caso surge uma dúvida bastante pertinente: quando começar a usar creme anti-idade?

Sabemos que as rugas se formam nas camadas mais profundas da pele antes mesmo de se tornarem visíveis em nosso rosto, por isso, quanto antes iniciarmos os cuidados melhor, assim preservamos a saúde das nossas células e retardamos e envelhecimento. E a prevenção deve começar já aos 20 anos de idade, neste caso utilizando hidratantes apenas com funções preventivas, como a vitamina C e E e filtro solar. Acredita-se que aos vinte anos já se consumiu quase toda a cota de sol para vida toda. E o que acontece se alguém com 25 anos de idade utilizar um hidratante mais potente? Na melhor das hipóteses, não vai dar resultado nenhum, já que uma pele nessa idade não tem rugas profundas e flacidez para combater, a utilização inadequada pode causar irritações, acne e oleosidade excessiva. Deixe para começar a utilizar este tipo de produto aos 30 anos, nesta faixa etária, além das vitaminas e antioxidantes, os cremes devem conter ativos mais potentes como retinos, peptídeos e ácido hialurônico, que vão tratar a pele além de prevenir. Já entre 40 e 50 anos, o momento é de combater as manchas e flacidez, com o uso de ativos despigmentantes, ácido retnoico e agentes revitalizantes. Após os 50 anos, chega a fase de resgatar a densidade e textura da pele, utilizando os mesmos ativos da faixa etária anterior, acrescidos de extratos vegetais ricos em isoflavonas, como a soja e também ácidos graxos essências, que são escassos nesta fase.

E lembrem-se que vale aquela regrinha: menos é mais! Utilizar grande quantidade de hidratante não vai fazer com que o efeito seja melhor, nossa pele é inteligente o bastante para absorver a quantidade suficiente para obter resultados. A diferença está na concentração dos ativos e não na quantidade aplicada. Muitas vezes vale um bom hidratante com a indicação correta para o tipo de pele e na quantidade ideal do que um arsenal de produtos aplicados de maneira errada.

 

Ciça Albuquerque
Ciça Albuquerque
consultora de estética

Deixe uma resposta