DORES MUSCULARES PÓS-TREINO

Quem nunca ficou dolorido depois de um treino novo ou de uma aula pesada? Sabe aquele desconforto muscular ao acordar, aquela sensação de que foi “atropelada”? Isso costuma aparecer de 24h a 48h depois do treino. Essa sensação é conhecida como “dor do dia seguinte” ou “dor boa” para algumas pessoas.

Até pouco tempo atrás achava se que essa sensação era causada pelo efeito do ácido lático. Para quem nunca ouviu falar, o ácido lático é aquela queimação ou fadiga que sentimos quando exercitamos um grupo muscular, mas foi comprovado que essa substância é removida 1h após. Hoje sabe-se que essa “dor muscular” é causada devido as micro lesões que ocorrem na fibra muscular durante o exercício, ou seja, o tecido muscular solicitado sofre pequenas lesões. A resposta dos músculos é reparar o dano sofrido, sendo este inclusive o princípio do mecanismo de adaptação ao estímulo do exercício. Em outras palavras os músculos sofrem um dano para depois se tornarem mais fortes. Isso é um processo fisiológico, considerado natural.

Essa “dor do dia seguinte” é diferente daquela dor do ácido lático e da dor de lesão muscular. É importante que com o tempo você seja capaz de diferenciar estes tipos de dores para conhecer seus limites e não se machucar.

Não é porque essa dor do dia seguinte seja um processo natural que você deverá senti-la toda vez que for treinar. Normalmente ela ocorre quando damos um estímulo diferente ao músculo, seja por troca de treino ou por aumento da sobrecarga.

Devo treinar mesmo se eu estiver sentindo dor? A resposta é: Sim, desde que ele não tenha sido exercitado no dia anterior. Se tiver respeitado o intervalo proposto pelo educador físico e a dor ainda permanecer, deve-se treinar sem medo, pois o processo de recuperação já foi feito e o estímulo deve ser dado novamente.

Alongamento após o treino tem sua importância (como já foi falado em outro post), mas ele não vai aliviar e nem evitar que essa dor apareça.

É importante ressaltar que o músculo, as cartilagens, as articulações e os tendões precisam se adaptar, portanto, muito cuidado ao aumentar a sobrecarga nos treinos. Treinar pesado é necessário, mas primeiro devemos respeitar o nosso corpo.  Com o tempo você perceberá o momento ideal de estimula-lo mais.

Fi-3

 

Deixe uma resposta