EMAGRECENDO COM SAÚDE – POR CLAUDIA MENDONÇA

Sempre busco informações coerentes e sérias quando quero falar sobre alimentação, saúde e esporte aqui no blog. Se o assunto é emagrecimento então, dobro minha atenção e preocupação, porque há tanta gente falando a respeito nas mídias sociais e sites, de forma perigosa e nada séria.  Aos 42 anos, busco ter uma vida regrada, acordando cedo, usando alimentos que não prejudicam minha saúde e meu desempenho na corrida ou academia. Muitas leitoras me perguntam através de e-mail ou mesmo pessoalmente como faço para manter meu peso e estar em forma. Não existe segredo, procuro estar cercada de bons e sérios profissionais e seguir o que me é prescrito. Convidei a Claudia Mendonça, minha nutricionista,  para escrever aqui no Buyer & Brand justamente porque quero dar respostas com o apoio de um excelente profissional.  Vamos começar com o tema mais discutido e procurado, emagrecimento! e se for para emagrecer, que seja com saúde e com a clara ideia de que não existe pílula mágica nem aparelho que faça perder aqueles pesos extras, só depende de seu desempenho e boa vontade! faça a coisa certa, procure sempre um bom profissional e colha os frutos! é sobre isso que falei com a Claudia nesse entrevista que acredito, irá lhes ajudar muito nas dúvidas do dia a dia sobre boa forma.

imagem: reprodução - via pinterest
imagem: reprodução – via pinterest

 

1- Para emagrecer com saúde, é preciso equilibrar alimentação e esporte?

Sim, para emagrecer com saúde é fundamental equilibrar alimentação e esporte. A atividade física é hoje considerada elemento essencial para a manutenção da saúde e de uma boa qualidade de vida. Além disso, o exercício tem se mostrado importante aliado tanto no tratamento como na prevenção de uma série de doenças (obesidade, diabetes, hipertensão, osteoporose, etc.). De uma maneira geral, a pessoa que deseja praticar algum tipo de atividade física, necessita apenas de uma alimentação saudável, variada e equilibrada.

2- Qual é a dica de ouro para quem quer perder peso hoje?

Para quem deseja perder peso com saúde e mantê-lo, o ideal é fracionar a dieta com 5 a 6 refeições diárias. Não é necessário cortar nenhum alimento e sim adequar o tamanho das porções consumidas ao seu gasto de energia. A atividade física regular facilita a busca desse equilíbrio, já que aumenta o gasto energético.

3- Pessoas com o metabolismo mais lento, tem realmente mais dificuldade em emagrecer?

Sim. A eficiência do metabolismo é um ponto fundamental para o equilíbrio do nosso peso. O metabolismo é o processo através do qual “queimamos” os nutrientes para gerar energia. Pessoas com metabolismo alto consomem facilmente a energia ingerida. Pessoas com metabolismo baixo têm dificuldade em queimar a energia o que pode implicar na facilidade em ganhar peso. Por isso, não devemos ficar muitas horas sem se alimentar, mais do que 3 horas. O nosso organismo “poupa” energia, ao invés de queimá-las. É muito importante ter o hábito de fazer sempre pequenos lanches (frutas, iogurtes, frutas secas, cookies e biscoitos integrais, etc) entre as principais refeições.

imagem: reprodução - via pinterest
imagem: reprodução – via pinterest

4- Os alimentos termogênicos realmente ajudam a queimar calorias como as revistas e sites de boa formam afirmam o tempo todo? quais são esses alimentos?

É verdade que existem alimentos termogênicos, como por exemplo, a cafeína, o chá verde, o gengibre, a pimenta vermelha, etc, que quando ingeridos aumentam a temperatura corporal, aumentando assim o gasto energético, ou seja, esses alimentos aceleram o metabolismo. Mas também existem alguns fatores que influenciam diretamente o metabolismo, são eles:

– Sexo (maior no sexo masculino)

– Idade (diminui com o envelhecimento)

– Massa muscular (maior com mais massa muscular)

– Frequência alimentar (aumenta se intervalos entre refeições for pequeno)

– Atividade física (aumenta com a prática regular)

– Ingestão de líquidos (aumenta com consumo adequado)

– Fatores genéticos

5- É fundamental procurar um endócrino e uma nutricionista no momento em que decidimos que precisamos alcançar o peso ideal?

É fundamental procurar um endócrino e/ou um nutricionista dependendo da necessidade de cada um. O mais importante é entender detalhadamente o perfil e as expectativas de cada pessoa, respeitando as informações bioquímicas, fisiológicas, genéticas e também emocionais de cada um.

6- Dieta e reeducação alimentar, qual a diferença?

A reeducação alimentar é um trabalho onde o entendimento da mudança comportamental é o mais importante. A educação nutricional acontece a curto e longo prazo, estabelecendo metas alcançáveis junto com o paciente. Dietas restritivas ou dietas da moda que propõe perda de peso rápida e fazem passar fome, não são saudáveis, têm pontos negativos e podem ter efeitos frustrantes. A maioria das pessoas que fazem esse tipo de dieta, quando volta a engordar pensa ser porque não tiveram força de vontade suficiente para continuar a dieta, quando, na verdade, é o corpo que não permite emagrecer mais. O cérebro diante da fome causada por dietas radicais pode provocar um desequilíbrio do humor e aumentar a ansiedade.

7- Porque as dietas mais rígidas e com pouco consumo de calorias/ diárias muitas vezes são prejudiciais e trazem como resultado o efeito sanfona?

Porque não são sustentáveis. As dietas restritivas, também conhecidas como “dietas da moda”, podem promover a perda de peso num curto período de tempo, mas que não é mantido a longo prazo. Além disso, dietas muito radicais favorecem o reganho de peso com mais gordura e menos músculos e desregulam as sensações de fome e saciedade trazendo como resultado o famoso efeito sanfona.

8- Qual a dica para manter o peso depois da dieta, sem sacrifícios, mas mantendo uma vida saudável e alimentação idem?

Ter consciência na escolha dos alimentos, valorizando sempre a qualidade, quantidade (tamanho das porções) e a frequência da alimentação. Outra dica importante é incluir na rotina a prática regular de atividade física.

A mastigação adequada é essencial na perda de peso. Comer devagar, mastigando bem os alimentos, é fundamental! O estômago leva aproximadamente 20 minutos para sinalizar ao cérebro que você está satisfeito, portanto é muito importante dar uma pausa entre as garfadas.

imagem: reprodução - via pinterest
imagem: reprodução – via pinterest

 

Claudia Mendonça – Nutricionista da Clínica da Daniel Lerário.

Especialista em Nutrição, Saúde e Alimentação infantil pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Mestre em Nutrição pela UNIFESP.

E-mail: claudia.nutri@daniellerario.com.br

 

Marcia Paron
Marcia Paron
Marcia Paron é estilista e Fashion Buyer, trabalhou para importantes marcas internacionais como Miss Sixty e Zara e hoje é gerente de negócios da cadeia Espanhola de lojas El Corte Inglés. Apaixonada por estética, arte e moda desde sempre, decidiu colocar em prática a paixão por escrever e orientar pessoas sobre tendências de moda, estilo pessoal, consumo consciente e autoestima, através do blog Buyer & Brand, um espaço aberto à informação sem afetação, com foco em moda acessível, feita para mulheres reais.
http://buyerandbrand.com.br

Deixe uma resposta